Readequação funcional das Estações Ipiranga, Saladino e Utinga da Linha 10 - Turquesa da CPTM

Readequação funcional das Estações Ipiranga, Saladino e Utinga da Linha 10 - Turquesa da CPTM

Por ser a principal ligação de transporte coletivo entre a região central de São Paulo e a região do ABC Paulista, a linha 10 - Turquesa da CPTM teve de passar por uma readequação nas estações Ipiranga, Saladino e Utinga. As obras ocorreram sem a interrupção da circulação dos trens de passageiros e de carga.

O DESAFIO

A Linha 10 – Turquesa é a principal ligação de transporte coletivo entre a região central de São Paulo e a região do ABC Paulista. Com início na Estação da Luz e término na Estação Rio Grande da Serra, ao longo de seus 37 km de extensão e 14 estações ela cruza a região sudeste do município de São Paulo, além dos municípios de São Caetano do Sul, Santo André, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra.

Esta linha tem importante papel na rede de transporte coletivo, pois proporciona integrações nos seguintes pontos: Estação da Luz (Linhas 7 e 11 da CPTM; Linhas 1 e 4 do Metrô), Estação Brás (Linhas 7, 11 e 12 da CPTM; Linha 3 do Metrô), Estação Tamanduateí (Linha 2 do Metrô e ônibus da EMTU), Estação Santo André (Corredor Metropolitano da EMTU) e Estação Rio Grande da Serra (sistema de ônibus da EMTU).

A CPTM possui um Plano de Expansão e Modernização que envolve ações direcionadas à ampliação, recuperação e modernização de suas linhas, com o intuito de ampliar a capacidade de transporte e elevar o padrão de qualidade dos serviços prestados. Dentro deste plano estão inseridos os projetos de readequação funcional da Linha 10 - Turquesa, para os quais a CPTM contratou empresas especializadas para o desenvolvimento destes projetos, visando promover a acessibilidade universal às estações, racionalizar a circulação e prover maior segurança e conforto aos seus usuários.

NOSSA MISSÃO

De 2012 a 2015, a SYSTRA atuou na revisão dos projetos básicos e elaboração dos projetos executivos de arquitetura, engenharia e meio ambiente das Estações Ipiranga, Utinga e Saladino.

Nossa atuação ocorreu no detalhamento de alternativas de projeto, assegurando a viabilidade de implantação de cada obra sem interromper a circulação dos trens de passageiros e de carga. Os trabalhos desenvolvidos envolveram os seguintes objetivos específicos:

  • Apresentação de visão global de cada obra e identificação de todos os elementos construtivos;
  • Concepção de soluções técnicas globais e localizadas;
  • Identificação e relação dos tipos de serviços a serem executados e os materiais empregados na obra, de forma a assegurar os melhores resultados para o desempenho do empreendimento;
  • Subsídio à documentação técnica para a execução e gestão de cada obra;
  • Tratamento adequado das questões ambientais, minimizando os impactos no entorno;
  • A necessidade de implantação de escadas fixas, rolantes e elevadores especiais na ligação entre mezanino e plataformas e escadas e rampas nos acessos externos;
  • Proposições de integrações físicas e funcionais com outros modos de transporte, principalmente o não motorizado, propondo estações com melhor acessibilidade para pedestres e prevendo equipamentos para integração com as bicicletas.

Em termos específicos de acessibilidade, os projetos visaram assegurar que as estações fossem dotadas de todos os dispositivos necessários para a plena e segura circulação dos usuários com necessidades especiais, incluindo os seguintes aspectos:

  • Dispositivos e rampas de acessibilidade nos arredores das estações;
  • Dispositivos de sonorização, iluminação e mapas táteis;
  • Sanitários adaptados;
  • Implantação de rotas-táteis e linhas-guia no entorno e acessos da estação, até o embarque nos trens;
  • Remoção de barreiras físicas à circulação, em atendimento à norma NBR 9.050/2004;
  • Instalação de placas de comunicação visual, tátil e sonora nas plataformas e mezaninos;
  • Instalação de elevadores;
  • Regularização de pisos, visando o acesso seguro e irrestrito de pessoas com necessidades especiais.
Voltar ao topo da página

Ler também

Ponte Rio Negro – SRMM/AM
Ponte Rio Negro – SRMM/AM
Ponte rodoviária sobre o Rio Negro, ligando as cidades de Manaus e Iranduba, (...)
Corredor São Mateus - SPTRANS
Corredor São Mateus - SPTRANS
Implantação de um corredor tronco-alimentador de transporte coletivo de (...)
Concessão do Sistema Rodoviário BA-093
Concessão do Sistema Rodoviário BA-093
Estudos para a estruturação da concessão do Sistema Rodoviário BA 093, para o (...)
Anel Viário de Campinas – DERSA
Anel Viário de Campinas – DERSA
Implantação do Anel Viário de Campinas entre o Trevo de Sousas e o km 86 da (...)
Arena Amazônia – SEINFRA/AM
Arena Amazônia – SEINFRA/AM
Gerenciamento das obras e dos serviços de engenharia de construção dos (...)
Terminais Urbanos da região Metropolitana de Belo Horizonte – DEOP MG
Terminais Urbanos da região Metropolitana de Belo Horizonte – DEOP MG
APOIO TÉCNICO OPERACIONAL NO GERENCIAMENTO E FISCALIZAÇÃO DAS OBRAS DOS (...)
VLT da Baixada Santista (RMBS)
VLT da Baixada Santista (RMBS)
Consolidação do Projeto Funcional do Sistema Integrado Metropolitano – SIM da (...)
Bus Rapid Transit (BRT) Manaus - Projeto Basico
Bus Rapid Transit (BRT) Manaus - Projeto Basico
SISTEMA ESTRUTURAL DE TRANSPORTE PÚBLICO DE PASSAGEIROS DE MANAUS: ESTUDOS (...)
Segregação de Linhas CPTM / MRS Logística S.A.
Segregação de Linhas CPTM / MRS Logística S.A.
Ponte entre Santos e Guarujá – Projeto Basico - DER/SP
Ponte entre Santos e Guarujá – Projeto Basico - DER/SP
A criação de uma ligação rodoviária direta entre as cidades de Santos e Guarujá (...)
Estudo de viabilidade do centro logístico integrado – CLI de Feira de Santana
Estudo de viabilidade do centro logístico integrado – CLI de Feira de Santana
ESTUDO DE VIABILIDADE TÉCNICA, ECONÔMICA, FINANCEIRA E AMBIENTAL DO CENTRO (...)
Corredor Metropolitano Guarulhos - SP (EMTU)
Corredor Metropolitano Guarulhos - SP (EMTU)
SYSTRA Brasil RUA GOMES DE CARVALHO, 1510, VILA OLÍMPIA, SÃO PAULO - SP. TEL: (11) 3048-9300 | Email : brasil@systra.com